x

mais ou menos assim...

foto art.soul

tenho andado afastada deste e dos vossos cantinhos. aos poucos recupero o ritmo.

o vírus tentou mas não conseguiu (toma!) atacar a mais pequena. infelizmente, encontrou um elo mais fraco lá por casa, e ontem foi ele a vítima das febres altas. senti-me mãe de duas crianças e isso só reforçou a ideia de que sim, ela ainda merece a nossa exclusividade. e sim, estamos muito bem com o nosso trio familiar, feliz e com tempo de qualidade para distribuir por todos.

o meu avô continua internado mas vai recuperando, na lentidão dos seus 85 anos, com muita calma, cautela, alguma ansiedade (inevitável) e muito mimo de todos aqueles que o querem ver dali pra fora. continua a não ser fácil vê-lo assim. apesar do cansaço, tenho demorado mais que muito a adormecer. mas saber que está com sinais visíveis de melhoras reconforta-me e faz-me acreditar que esta prova poderá ser superada. força aí grande e espectacular avô!

obrigada pela vossa preocupação e palavras de incentivo.
vemo-nos por aqui.

5 comentários:

  1. nunca pensei que estivesses a passar por momentos tão difíceis amiga... desejo do fundo do coração que tudo se recomponha pois temos muitas saudades tuas. Um beijo enorme

    ResponderEliminar
  2. isso quer dizer que o trio poderia passar a quarteto heheh

    vai tudo melhorar

    ResponderEliminar
  3. Com calma tudo começa a " entrar nos eixos":) bj grande e as melhoras para todos aí em casa e para o teu avô!

    ResponderEliminar
  4. Essa ideia dos nossos primogénitos merecerem a nossa exclusividade não desaparece julgo eu... há sempre sentimentos contraditórios sobre querer mais um filho e roubar atenção áquele nosso amor que nos preenche tanto o coração.

    Mas continuo a achar que um irmão é a prenda mais linda que se pode dar a um filho...

    Beijinhos e muita energia positiva para o teu avôzito.

    Bjs xx

    ResponderEliminar
  5. Su: já passei pelo teu cantinho para me "redimir" hehe:)

    Ana: sim, tudo se resolve!

    obrigada Rita, beijos para vocês tb

    Paula: essencialmente deve partir de uma vontade de todos (família) em querer ter mais um elemento. e é apenas isso que quis transmitir, que esse sentimento ainda não passa por aqui. pode alterar no futuro mas de momento sentimo-nos muito bem. e se "a prenda" vier será para todos, e não para a fazer feliz ou ter companhia. há tantas outras espectaculares formas de felicidade:)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.
Design + development by MunichParis Design