das leituras

 fotos art.soul

a lista lateral de leituras andava desactualizada. o Tchékov desiludiu-me mas o defeito é meu. não gosto de livros demasiado descritivos. aquele tipo de descrição exaustiva, que muita gente diz dar uma noção perfeita dos locais, a mim dá sono. preciso de espaço para imaginar. prefiro descrições subjectivas e parciais, com o coração em cada palavra. por estas e por outras, esta sugestão do meu pai veio mesmo na altura certa. tão bom adormecer com a poesia do José Luís Peixoto... no pós-Natal quero voltar a investir nele, e no Tordo e no Hugo Mãe. não vale a pena inventar quando sabemos quais as leituras que nos fazem felizes.
na visita à capital aproveitei a feira do livro na Gulbenkian e trouxe o Amadeo pra casa. olhei umas três vezes para o preço desta fotobiografia de um dos meus heróis nacionais. os livros de Arte e Arquitectura são sempre tão caros. vou colocá-lo ao lado do Da Vinci, lá em casa. acreditem, se este homem tivesse nascido noutro país, a história seria muito diferente. tenham orgulho neste homem. não fica a dever nada ao Pablo...(Picasso de apelido).

7 comentários

  1. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
    Amadeo... Amadeo...

    ResponderEliminar
  2. HAHAHAHAH
    já traulitei essa música enquanto escrevia isto... vou procurar no youtube. LOL

    ResponderEliminar
  3. O único autor russo que experimentei foi Gorki e embora não tivesse apreciado por aí além, não ponho de parte voltar a ler literatura russa. Cá em casa o G devora tudo o que é do Dostoievski. Eu ainda não me aventurei... :)

    Dos autores portugueses contemporâneos aprecio o JLPeixoto, Valter Hugo Mãe e o Nuno Júdice. Vou experimentar um dia destes o João Tordo :)

    ResponderEliminar
  4. Dulce, também tenho grande curiosidade em ler Doistoievski. Nuno Júdice nunca li nada mas fiquei curiosa por estar aí entre os teus favoritos que são também os meus:) que livro dele me sugeres para uma primeira leitura?

    ResponderEliminar
  5. Amadeo Amadeus, Amadeus... hehehe
    Recordei logo a música! LOL

    Pois, realmente a história dele teria sido bem diferente. Os nossos artistas sofrem pelo reconhecimento!

    Bjs *.*

    ResponderEliminar
  6. Art,

    o Nuno Júdice escreve sobretudo poesia e eu que não sou grande fã do género (excepto Torga, Pessoa e mais uns quantos que já não estão vivos) gosto muito da poesia dele. Mas tem também prosa e, embora ainda me falte ler muito dele, é de recomendar 'O complexo de Sagitário', publicado este ano.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.