Eu, no país da Alice

a Alice que o autor conheceu - imagem via Wikipédia
Sem grande hesitação, enfiei a Alice na mala das férias. Desde que vi o livro no quarto do meu irmão que o queria ler. Tenho-o na minha Wish List da Amazon e não sei explicar o motivo pelo qual ainda não o mandei vir cá para casa. Li as duas histórias completamente deliciada. Conclui que em 1865, ano em que a história foi publicada, já existia alguém que vê as crianças exactamente como eu as vejo. Ainda mais feliz fiquei quando descobri que a Alice que inspirou o autor, é uma menina de cabelo escuro, curto e com franja, como eu adoro e como na maioria das vezes faço nos meus desenhos. E falando em desenhos, fiquei com muita, muita vontade de desenhar a história, à minha maneira. Quem sabe...
Bom fim de semana

Without much hesitation, I chose Alice to go with me on holidays. Since I saw the book in my brother's room I wanted to read it. I have it on my Amazon Wish List and I can not explain why I haven't bought it already. I read the two stories completely delighted and concluded that in 1865, the year the story was published, there was already someone who sees children exactly as I see them. I was even happier when I discovered that the Alice who inspired the author, is a girl with dark short hair with bangs, exactly how I like and usually put in my drawings. And speaking of drawings, I really, really wanted to draw the story in my own way. Who knows... 
Have a good weekend

6 comentários

  1. Eu vi a edição animada da Disney, vezes sem conta. Vi também a do Tim Burton e apesar de não ser "a mesma coisa" gostei. A Alice, o mundo da Alice, o coelho, o gato, o chapeleiro, a rainha de copas (eu adoro a rainha de copas). Quero ler o livro (e adorava ser suficientemente boa a inglês para poder ler a versão original e percebê-la bem). Por outro lado, os rumores de pedofilia que acompanham sempre as biografias de Lewis Carroll são a parte que eu gostava de não saber...

    ResponderEliminar
  2. Vinha aqui comentar precisamente o mesmo que a Vera. Em miúda vi vezes sem conta o filme da Disney, e na adolescência li os livros e adorei.
    No entanto a paixão de Lewis Carrol pela Alice é bem conhecida e apesar de pensar que talvez ele tivesse um sentimento muito sincero por ela não consigo abandonar aquele pensamento que ele seria pelo menos um pouco mentalmente instável. Mas talvez seja por isso que os alguns autores são tão bem-sucedidos...
    E sim, ilustrar a Alice é aquela vontade. Conheço um ilustrador que começou a sua carreira a experimentar as ilustrações do Tenniel com colagens e fotografia e teve resultados fantásticos. Mas há sempre espaço para imaginar. É a melhor parte do País das Maravilhas. :)

    ResponderEliminar
  3. Ah! E sim, essa Alice da vida real tem "O" corte de cabelo.

    ResponderEliminar
  4. Tenho um igual a este para ler :D
    Tinha lido a versão da Editorial Estampa (aqueles livrinhos da capa negra e miolo azul), mas era apenas a Alice do Outro Lado do Espelho, quando li fiquei um pouco desconsolada... Acho que vou gostar mais das aventuras no País das Maravilhas :D
    Estou muito curiosa para ler as duas histórias seguidas*

    ResponderEliminar
  5. Esse foi sempre o meu corte de cabelo em crianca, cabelo completamente liso e de franja (corte aq tijela como as minhas irmas diziam em tom de gozo) e pelos vistos vai ser o corte da Bananica lol que gracas aos ceus herdou o meu cabelo.
    beijinhos bom fds

    ResponderEliminar
  6. Eh pá vocês estragaram tudo com essa da pedofilia, dsconhecia por completo e fico feliz por ter lido sem saber desses rumores!!:)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.