Sobre o azul para lá da Serra dos Candeeiros ::: About the blue beyond Candeeiros mountain

Já conhecemos bem o fenómeno. Se sairmos de casa com temporal, o mais certo é tudo mudar depois de passarmos a serra dos Candeeiros. Desta vez não foi excepção. Em casa chovia e o vento não era uma mera brisa, na capital estava frio mas o céu menos escuro e apenas uns chuviscos caíam aqui e ali. No dia seguinte já tudo era mais azul, quando ao telefone continuavam os relatos de ventanias e vendavais invernosos. Por isso fugimos ainda mais para sul. Apanhamos o barco e fomos a Tróia e à Serra da Arrábida. Foi uma aventura super divertida atravessar de barco, passear no passadiço e regressar apressados pela proximidade de uma nuvem mais escura e pela violência com que o vento nos começou a atirar areia para a cara. Pelo meio, uma agradável paragem no Museu do Choco fez valer ainda mais a visita à outra margem.
De volta a casa, ainda tivemos de gozar mais um dia cinzento antes deste sol e aragem quente começarem a bater nas nossas janelas. E o azul aqui é outra coisa. É um azul cor dos abraços de quem gostamos. É um azul cor do mar que nos recebe à porta de casa. É um azul às riscas, azul e branco. Poderão existir muitos azuis por aí fora mas o azul para lá da Serra dos Candeeiros não é o meu porque lhe falta o meu sotaque.
Boa semana a todos!
::: for the english version, please click here :::

1 comentário

Com tecnologia do Blogger.