Do what you love and you'll never work a day in your life: um mito urbano

 imagem via Google

Esta era uma das frases que mais me motivava a tomar umas das decisões mais difíceis e mais revolucionárias da minha vida. O tal deixar de ser batata
Hoje quando a leio acho-a uma grande treta. Consigo perceber a ideia subjacente mas sou uma pessoa pragmática e a verdade meus amigos, é exactamente o oposto. Quando se trabalha no que se gosta, especialmente a partir de casa, não há toque para saída ao final do dia. Quando nos deitamos sonhamos com os projectos que estão para vir e quando vamos na rua anotamos ideias que nos surgem. 

Como sempre acreditei na transpiração muito mais que na inspiração, isto não me choca. Aliás, era mesmo isto que eu procurava. Acção, desafios e muita luta. Dias preenchidos, com conquistas e aprendizagens a uma velocidade surpreendente.
Recentemente uma das minhas clientes achou curioso o facto de eu estar entusiasmada com um "simples" projecto de decoração interior de um apartamento. A verdade é que para mim, não há trabalhos pequenos. Tudo o que faço faço-o com uma alegria e um prazer enormes. E mesmo quando as coisas não resultam como o esperado, consigo ficar grata pela oportunidade que tive e partir para o próximo projecto muito mais segura e confiante.  
Gosto do que faço. 
Adoro ter trabalho. 
Por isso sugiro alterarmos ligeiramente a frase...


 

6 comentários

  1. Só tu! Amei e sublinho com toda a minha alma. É mesmo isso ;)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. :) beijinho SimplyINside

    Uba, as escolhas são sempre complicadas ;)

    ResponderEliminar
  4. Artzinha, umas bem mais que outras! ;)

    ResponderEliminar
  5. Blue, como é óbvio, daí eu falar no trabalho e luta por um objectivo. Não em sonhos cor de rosa.

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.