x

Ser ou não ser uma pessoa com sorte

imagem via Atelier da Vida
Dizem-me muitas vezes que sou uma pessoa com sorte. Se falo de uma cesta de mirtilos ou morangos: tenho sorte. Se publico mostro uma foto da marginal que fica ao lado de minha casa: tenho sorte. Se falo do meu escritório em casa: tenho sorte. Se a minha casa é branca: tenho sorte. Mas afinal o que é ter sorte? Será a sorte um cesto de fruta? E se sim, não estará a sorte está nas cestas de fruta que cada um de nós tem em casa? 

A reflectir. Sem fazer piadas futebolísticas.
Eu tenho sorte em muitas coisas, noutras tenho azar. Muito azar. Mesmo.
Às vezes a fruta tem bicho. Às vezes a marginal tem uma nortada medonha. Às vezes o meu escritório em casa faz com que o trabalho invada a cozinha, a sala e a cama onde me deito. Às vezes a minha casa deixa entrar humidade. Entre outras coisas, bem mais profundas.
Eu escolho chutar esse azar para canto. Desatar num berreiro, limpar as lágrimas e partir para outra. De um segundo para o outro. Chorar, de vez em quando, alivia-me. A vida é mesmo assim e o maior erro é pensarmos o contrário. O erro é desejarmos sol quando caem três pingos de chuva. O erro é querermos estar na praia quando estamos no campo. O erro é querermos três filhos quando temos um. O erro é querermos o que os outros têm e não repararmos no bom que nos rodeia, todos os dias, em nossa casa.
E a felicidade também pode estar numa cesta de fruta comprada no Continente. É tudo uma questão de perspectiva. Se ter sorte for estar onde estamos e não onde gostaríamos de estar, tudo fica mais simples. E no final de contas, é mesmo como dizem os nossos avó: haja saúde...

Bom fim de semana. Divirtam-se e não se preocupem se voltar a chover, aproveitem para conhecer a página de uma amiga de infância que perdi e voltei a encontrar, no momento certo.
Descubram o seu Atelier da Vida e construam a vossa sorte.

7 comentários:

  1. Clarinho como a água para uns, uma espécie de coisa estranha que não se entranha para outros.

    Eu, tu, 'habemus sorte'… os outros se quiserem também!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Paula, e quando se descobre (porque eu acho que é uma aprendizagem e uma descoberta que se faz com tempo e quando estamos predispostas a isso) que a sorte está em nós, sentimo-nos verdadeiros SUPER HERÓIS!!!!! ;)
    Beijo grande para ti, "sua sortuda" ;)

    ResponderEliminar
  3. Eu uso muito essa expressão, "Que sorte!", "Sortuda!". Porém, não a uso no sentido de me achar menos sortuda. Utilizo sim porque reconheço a sorte da outra pessoa naquele momento, naquela possibilidade. E fico feliz por essa sorte.
    Eu também sou uma pessoa de MUITA sorte. :D

    ResponderEliminar
  4. Por acaso nunca costumo usar esse tipo de expressão "tens tanta sorte!" ou "és uma sortuda". Cada vez mais acho que nós criamos a nossa própria sorte, e é uma questão de perspectiva. Desde que comecei a praticar a gratidão pelo que tenho (e sim, é uma coisa que se pratica) percebo a sorte que tenho e faço. E sei que cada um faz a sua.
    Se eu invejo alguma coisa nas vidas de outros... por vezes sim, mas mais a coragem de se lançarem num negócio próprio, ou mostrarem a cara no blog, por exemplo, visto que por vezes me sinto ainda muito presa aos conceitos antiquados com que fui educada, e estou a desenraizar ainda algumas ideias. Um dia, quando estiver preparada, sei que terei os meus passos para dar, sejam esse de criar um negócio meu ou outra coisa qualquer... :)

    ResponderEliminar
  5. Há uns tempos escrevi um texto semelhante, mas num tom muito mais "inflamado" e... acabei por decidir não o publicar. Passam a vida a dizer-me que tenho sorte. Tenho uma casa num sítio que adoro, tenho um trabalho diferente, tenho uma família fantástica, vou passear aqui e acolá e pior, pareço estar sempre feliz (ui que horror). "Tens mesmo sorte". Normalmente remato com o meu melhor sorriso (amarelo) e deixo a conversa por ali. Tenho sorte? Claro que tenho, alguma. Muita do qual eu construí. Estudei e estudo muito, mudei de um emprego "efectivo" porque não gostava do que fazia (na altura não era sorte que diziam, era loucura), adoro a minha casa e só quero estar ali agora mas não é a casa que eu sonhei, tenho uma família maravilhosa mas um bocadinho problemática e complicada como todas as outras famílias, vou de férias de mochila às costas e gasto provavelmente muito menos dinheiro do que se fosse só ali ao Algarve. Mas... acho que muitas pessoas não conseguem ver que a sorte é, muitas vezes uma questão de trabalho e de... perspetiva! (Vez, aquilo que eu dizia do "inflamado"? :)

    Adiante... Concordo plenamente com tudo o que dizes neste post. :) Bom fim de semana! :)

    ResponderEliminar
  6. ohhhhh que fixeeeeeeeeee!!!! somos umas sortudas...

    ResponderEliminar
  7. Uba, eu também uso a expressão nesse sentido mas estou a falar quando se nota que, do outro lado, não há a tal noção de gratidão que a Analog Girl tão bem fala.
    Claro que és uma sortuda!! ;) Beijinhos

    Analog, Gratidão é mesmo a palavra chave ;) That was my point exactly ;) Eu tb estou presa a muita coisa, algumas muito parecidas com as tuas, é por isso que tens de vir ao Porto tomar um café comigo e com a sortuda da Vera. BEIJO

    Vera, também ouço TANTO isso do "estar sempre feliz" :D Estamos em perfeita sintonia!!!!

    Joana, hihihi ;)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.
Design + development by MunichParis Design