Ser feliz mais um momento

  Serra da Freita - distritos de Aveiro e Viseu

Fim de semana. De volta ao lugar onde seremos sempre felizes. Adivinhar o nosso trajecto quando, à nossa frente, a estrada serpenteia o cume da montanha. Parar para tirar fotos. Parar para ouvir o silêncio. Ensiná-la a ouvir o silêncio. Fazer o melhor possível para dominar as vertigens que sinto ao ser conduzida por estradas sem berma, com vales profundos do outro lado da minha janela. Estarmos os três no topo do mundo, a poucos minutos de casa. E regressar com a sensação de termos feito uma longa viagem.

 Se eu pudesse trincar a terra toda
E sentir-lhe um paladar,
Seria mais feliz um momento ...
Mas eu nem sempre quero ser feliz.
É preciso ser de vez em quando infeliz
Para se poder ser natural...
Nem tudo é dias de sol,
E a chuva, quando falta muito, pede-se.
Por isso tomo a infelicidade com a felicidade
Naturalmente, como quem não estranha
Que haja montanhas e planícies
E que haja rochedos e erva ...
O que é preciso é ser-se natural e calmo
Na felicidade ou na infelicidade,
Sentir como quem olha,
Pensar como quem anda,
E quando se vai morrer, lembrar-se de que o dia morre,
E que o poente é belo e é bela a noite que fica...
Assim é e assim seja ...

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXI"
Heterónimo de Fernando Pessoa

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.