O que é uma serigrafia?

imagem da esquerda: composição matriz, que escolhi executar com colagem, ponto de partida de todo o processo
imagem da direita: na mão a raclete de serigrafia sobre o quadro com a tela

Depois tanto vos falar sobre a minha primeira serigrafia, gostava de partilhar convosco todo o processo e falar desta técnica que tanto me agrada.

A serigrafia é uma obra gráfica original, de edição limitada e irrepetível. Cada exemplar é numerado e assinado pelo artista, que deverá acompanhar todo o processo. 
Existem algumas variações no processo de serigrafia (stencil, desenho direto, fotolito...) mas a base de trabalho é um quadro onde é esticada uma tela em nylon que recebe as diferentes camadas de tinta, uma cor de cada vez. Eu fiz desenho direto, o que significa que cada cor era desenhada, em negativo, com a cola azul, na tela. Cada erro poderia significar apagar todo o quadro e voltar a fazer de novo.

imagem da esquerda: negativo pintado na tela, com cola azul
imagem da direita: negativo após passagem com tinta preta

Trabalhei sob orientação da minha professora de Oficina de Artes do 10º ao 12º ano, um reencontro  muito especial, passadas duas décadas sem nos contactarmos. Foi com ela que a minha turma experimentou e aprendeu várias técnicas de expressão plástica e História da Arte ensinada com distinção. Mas voltemos à serigrafia.


imagem da esquerda: colocação da tinta preta no quadro
imagem da direita: pormenor da raclete que transfere a tinta para o papel

O que exige mais perícia, em todo o processo, é o acerto de cada negativo, de forma a que cada mancha de cor saia no local exato e não uns milímetros ao lado. Falando ainda sobre a cor, todas foram executadas a partir das cores primárias, trabalhadas em cima da mesa, com uma espátula e diluente. A consistência certa era depois conseguida utilizando "blue spirit", até a tinta "fazer estrada". Nem muito líquida, nem muito pastosa.
imagem da esquerda: as duas camadas de cor iniciais, dois tons de rosa
imagem da direita: detalhe da aplicação da mancha de verde
imagem da esquerda: últimos acertos para aplicação da cor final, o preto.
imagem da direita: passagem do preto no quadro

Iniciei o processo com 25 folhas (tamanho A2) e terminei com uma série de 20. Não foi nada mau perante tanta novidade e uma disponibilidade de tempo, de minha parte, que não era a ideal. Cada cor implica um desenho de negativo, o fabrico da cor pretendida, a passagem da cor (folha a folha) para o papel e a limpeza final do quadro. Na cor seguinte, o processo repete-se. Por tudo isto, com feriados e compromissos à mistura, foi um processo que teve início em Novembro de 2017 e terminou em Junho de 2018.
imagem da esquerda: rede de secagem das folhas após aplicação da última camada de cor
imagem da direita: detalhe da serigrafia acabada, ainda a secar

Após aplicação da cor numa folha, esta é colocada a secar numa rede própria.
No final, cada serigrafia foi numerada e assinada, a lápis, por mim. A primeira da série foi oferecida à minha deliciosa filha, a origem das minhas ideias mais bonitas e coloridas.
A serigrafia chama-se "O rapaz dos calções às riscas" e estará (brevemente) disponível na loja online, sendo enviada sem moldura, num canudo bonito, decorado por mim.


Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.